terça-feira, 28 de setembro de 2010

Frases - Clarisse Linspector e Mario Quintana

Pensem nisso:


"O que me impressiona, à vista de um macaco, não é que ele tenha sido nosso passado: é este pressentimento de que ele venha a ser nosso futuro."
Mario Quintana



"E o que o ser humano mais aspira é tornar-se ser humano"
Clarisse Linspector


--
P.e Maikel P. Dalbem, C.Ss.R.

Nesta semana, ritmo um pouco mais lento.

Caríssimos:

Não me esqueci de vocês e nem do blog. Estou em retiro. Estava precisando deste tempo para refletir e sair do ritmo acelerado que nossa vida tem. Deixar Deus falar, esta é a sabedoria que momentos assim nos ensinam. Sendo assim, poderei postar poucas coisas. Fiquem com Deus! A partir de sexta-feira o ritmo volta ao normal em nosso blog.
--
P.e Maikel P. Dalbem, C.Ss.R.

sábado, 25 de setembro de 2010

Dúvidas sobre as Sagradas Escrituras

Caríssimo(a):

Você, que já me conhece, sabe que fiz meus estudo de mestrado nas Sagradas Escrituras. Pois bem, gostaria de colocar o pouco que sei a seu serviço e tornar este blog cada vez mais participativo. Qualquer dúvida ou reflexão que você tiver, pode enviá-la para dalbemcssr@gmail.com , com o assunto: Questões sobre a Bíblia. Se você quiser, publicarei, caso contrário, responderei a você por e-mail.
Estou a seu dispor, como irmão que quer estabelecer um diálogo de crescimento. Fique com Deus!
Aguardo o seu contato.
--
P.e Maikel P. Dalbem, C.Ss.R.

XXVI Domingo do Tempo Comum


1ª leitura: Am 6,1a.4-7: O profeta se levanta mais uma vez contra o consumismo da sociedade da época que se alicerça sobre a injustiça. Os ricos não se importam com a ruína do povo (casa de José = Efraim e Manassés). São irresponsáveis e, por isso, ir para o cativeiro servirá para que a elite aprenda o que é a justiça e o direito.

 

2ª leitura: 1Tm 6,11-16: Neste trecho, Paulo se dirige aos ministros do povo. Eles devem guardar as boas virtudes, crescendo no cultivo da fé. Devem cuidar para que a comunidade, esta pequena parcela do povo de Deus que lhes foi confiada pelo próprio Cristo, cresça nos caminhos de Deus.

 

Evangelho: Lc 16,19-31: Esta é uma parábola que só encontramos no evangelho de são Lucas. Aquele que entregou sua vida definitivamente ao dinheiro, nem Moisés, nem algum profeta, nem mesmo alguém que voltasse dos mortos (como o próprio Cristo) poderia fazê-lo mudar de idéia.

 

Breve Reflexão: Se refizermos a caminhada na liturgia da Palavra dos últimos domingos, perceberemos que o tema central gira em torno da relação entre os bens materiais e o modo de vida cristão. Amós, profeta de língua contundente, se levanta diante das injustiças de sua época. No trecho de hoje, fala dos olhos irresponsáveis dos ricos que se fecham diante do sofrimento do povo, permanecendo fixos no esbanjamento e no "sempre mais ter". O evangelho acaba por tocar também neste assunto. Quando em vida, o rico menosprezava o sofrimento do pobre Lázaro. Sua preocupação era com os belos banquetes e com a ostentação de seus bens.

Eis a grande infelicidade do "rico" (daquele que devota sua vida ao dinheiro): não consegue perceber os outros como irmãos, mas como competidores. Vive a sua vida na solidão daquele que só "pensa em mais ter" e não se edifica. Vive uma existência vazia e, portanto, sem sentido. Não se vive o verdadeiro sentido da palavra "economia" (cuidado da casa). O Reino de Deus nos chama para outra postura. O sentido e a felicidade da vida se encontram na fraternidade e na acolhida, na medida em que nos descobrimos uma única família humana. Aquele que só busca ter, já se condenou, pois tem no dinheiro e nos bens o seu deus. Grande idolatria!

Que Deus nos guarde fiéis, sempre na busca do crescimento em comunidade e fraternidade, fazendo de nossos bens, conquistados através de meios justos, meio para que a vida possa se realizar de maneira digna!


--
P.e Maikel P. Dalbem, C.Ss.R.

Santo do dia - São Sérgio

"Contemplando a Santíssima Trindade, vencer a odiosa divisão deste mundo". 

Esta frase reflete a alma contemplativa do santo de hoje, São Sérgio, considerado o "São Bento" da Rússia cristã. Na antiga Rússia o Cristianismo penetrou por volta do século IX, sendo Vlademiro, o primeiro príncipe a se converter ao Cristianismo, isto em 1010.

A religião do Cristo esteve sempre na Rússia, ligada mais ao Oriente do que a Roma. Monge Sérgio, tornou-se o grande evangelizador do século XIV, pois através de numerosos mosteiros irradiava a cultura e a verdadeira fé.

Após deixar o declínio da vida monástica na Rússia, Sérgio experimentou, com seu irmão, a construção numa floresta virgem de uma capela dedicada à Santíssima Trindade, devoção desconhecida naquele povo.

O irmão não aguentou, mas com firmeza e santidade, o santo de hoje atraiu a muitos até que edificaram um mosteiro em louvor a Santíssima Trindade. 

Ordenado sacerdote para o melhor exercício da vocação de formar os monges na fundamental regra da oração e do trabalho, viveu São Sérgio: os "filhos", a pobreza, a mansidão e total confiança na Divina Providência. 

São Sérgio escreveu tanto que é considerado o grande educador nacional do povo russo. Faleceu com quase 80 anos de idade em 25 de setembro de 1392 no mosteiro da Santíssima Trindade. 

São Sérgio, rogai por nós!


--
P.e Maikel P. Dalbem, C.Ss.R.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Santo do dia - São Gerardo Sagredo (24/09)

Gerardo Sagredo, filho de pais ilustres e piedosos, nasceu no ano 980, em Veneza, Itália. Sagrado sacerdote beneditino, foi como missionário para a Corte da Hungria, onde, depois de ser orientador espiritual e professor do rei Estêvão I, uniu-se ao monarca, também santo da Igreja, para converter seu povo ao cristianismo. Decisão que o santo monarca tomou ao retornar do Oriente, onde, em peregrinação, visitara os lugares santos da Palestina. O rei, então, pediu a Gerardo que o ajudasse na missão evangelizadora, porque percebera que Gerardo possuía os dotes e as virtudes necessárias para a missão, ao tê-lo como seu hóspede na Corte. 

Educado numa escola beneditina, Gerardo recebeu não só instrução científica como também a formação religiosa: entregou-se de corpo, alma e coração às ciências das leis de Deus e à salvação de almas. Aliás, só por isso aceitou a proposta do santo monarca. Retirando-se com alguns companheiros para um local de total solidão, buscou a inspiração entregando-se, exclusivamente, à pratica da oração, da penitência e dos exercícios espirituais. Mas assim que julgou terminado o retiro, e sentindo-se pronto, dedicou-se com total energia ao serviço apostólico junto ao povo húngaro. 

Falecendo o bispo de Chonad, o rei Estêvão I, imediatamente, recomendou Gerardo para seu lugar. Mesmo contra a vontade, Gerardo foi consagrado e assumiu o bispado, conseguindo acabar, de uma vez por todas, com a idolatria aos deuses pagãos, consolidando a fé nos ensinamentos de Cristo entre os fiéis e convertendo os demais. 

Uma das virtudes mais destacadas do bispo Gerardo era a caridade com os doentes, principalmente os pobres. Conta a antiga tradição húngara que ele convidava os doentes leprosos para fazerem as refeições em sua casa, acolhendo-os com carinhoso e dedicado tratamento. Até mesmo, quando necessário, eram alojados em sua própria cama, enquanto ele dormia no duro chão. 

Quando o rei Estêvão I morreu, começaram as perseguições de seus sucessores, que queriam restabelecer o regime pagão e seus cultos aos deuses. O bispo Gerardo, nessa ocasião, foi ferido por uma lança dos soldados do duque de Vatha, sempre lutando para levar a fiéis e infiéis a verdadeira palavra de Cristo. Gerardo morreu no dia 24 de setembro de 1046. 

As relíquias de são Gerardo Sagredo estão guardadas em Veneza, sua terra natal, na igreja de Nossa Senhora de Murano. E é festejado pela Igreja Católica, como o "Apóstolo da Hungria", no dia de sua morte.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

São Mateus - Breve histórico

No tempo de Jesus Cristo, na época em que a Palestina era apenas uma província romana, os impostos cobrados eram onerosos e pesavam brutalmente sobre os ombros dos judeus. A cobrança desses impostos era feita por rendeiros públicos, considerados homens cruéis, sanguessugas, verdadeiros esfoladores do povo. Um dos piores rendeiros da época era Levi, filho de Alfeu, que, mais tarde, trocaria seu nome para Mateus, o "dom de Deus". Um dia, depois de pregar, Jesus caminhava pelas ruas da cidade de Cafarnaum e encontrou com o cruel Levi. Olhou-o com firmeza nos olhos e disse: "Segue-me". Levi, imediatamente, levantou-se, abandonou seu rendoso negócio, mudou de vida, de nome e seguiu Jesus. 

Acredita-se, mesmo, que tal mudança não tenha realmente ocorrido dessa forma, mas sim pelo seu próprio e espontâneo entusiasmo no Messias. Na verdade, o que se imagina é que Levi havia algum tempo cultivava a vontade de seguir as palavras do profeta e que aquela atitude tenha sido definitiva para colocá-lo para sempre no caminho da fé cristã.
 

Daquele dia em diante, com o nome já trocado para Mateus, tornou-se um dos maiores seguidores e apóstolos de Cristo, acompanhando-o em todas as suas caminhadas e pregações pela Palestina. São Mateus foi o primeiro apóstolo a escrever um livro contando a vida e a morte de Jesus Cristo, ao qual ele deu o nome de Evangelho e que foi amplamente usado pelos primeiros cristãos da Palestina. Quando o apóstolo são Bartolomeu viajou para as Índias, levou consigo uma cópia.
 

Depois da morte e ressurreição de Jesus, os apóstolos espalharam-se pelo mundo e Mateus foi para a Arábia e a Pérsia para evangelizar aqueles povos. Porém foi vítima de uma grande perseguição por parte dos sacerdotes locais, que mandaram arrancar-lhe os olhos e o encarceraram para depois ser sacrificado aos deuses. Mas Deus não o abandonou e mandou um anjo que curou seus olhos e o libertou. Mateus seguiu, então, para a Etiópia, onde mais uma vez foi perseguido por feiticeiros que se opunham à evangelização. Porém o príncipe herdeiro morreu e Mateus foi chamado ao palácio. Por uma graça divina fez o filho da rainha Candece ressuscitar, causando grande espanto e admiração entre os presentes. Com esse ato, Mateus conseguiu converter grande parte da população. Na época, a Igreja da Etiópia passou a ser uma das mais ativas e florescentes dos tempos apostólicos.
 

São Mateus morreu por ordem do rei Hitarco, sobrinho do rei Egipo, no altar da igreja em que celebrava o santo ofício da missa. Isso aconteceu porque não intercedeu em favor do pedido de casamento feito pelo monarca, e recusado pela jovem Efigênia, que havia decidido consagrar-se a Jesus. Inconformado com a atitude do santo homem, Hitarco mandou que seus soldados o executassem.
 

No ano 930, as relíquias mortais do apóstolo são Mateus foram transportadas para Salerno, na Itália, onde, até hoje, é festejado como padroeiro da cidade. A Igreja determinou o dia 21 de setembro para a celebração de são Mateus, apóstolo.


--
P.e Maikel P. Dalbem, C.Ss.R.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Santo do dia - Santo André Kim Taegón, presbítero, e Paulo Chóng Hasang, e seus companheiros, mártires.

No início do século XVII, a fé cristão entrou pela primeira vez em terras da Coréia, por iniciativa de alguns leigos, de cujo esforço, sem pastores, surgiu uma comunidade forte e fervorosa. Só em 1836 os primeiros missionários, vindos da França, entraram furtivamente no país. Nesta comunidade, floresceram, com as perseguições de 1839, 1846 e 1866, cento e três mártires, entre os quais sobressaem o primeiro sacerdote e ardoroso pastor de almas André Kim Taegón e o insigne apóstolo leigo Paulo Chóng Hasang, a que se juntaram muitos leigos, homens e mulheres, casados e solteiros, velhos, jovens e crianças. Todos eles consagraram com seu testemunho e sangue as primícias da Igreja coreana.

--
P.e Maikel P. Dalbem, C.Ss.R.

sábado, 18 de setembro de 2010

Ausência - Carlos Drumond de Andrade

"Por muito tempo achei que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços,
que rio e danço e invento exclamações alegres,
porque a ausência assimilada,
ninguém a rouba mais de mim."


Versículo Bíblico do dia - 19/09/2010

"Pedro perguntou: 'Senhor, quantas vezes devo perdoar, se meu irmão pecar contra mim? Até sete vezes?' Jesus respondeu: 'Digo-te não até sete vezes, mas setenta vezes sete vezes."
Mt 18,21-22

--
P.e Maikel P. Dalbem, C.Ss.R.

Santo do dia - São José Cupertino

Nasceu num estábulo, a exemplo de Jesus, em Cupertino, no reino de Nápoles, a 17 de junho de 1603. Filho de pais pobres, tornou-se um pobre que enriqueceu a Igreja com sua santidade de vida. José quando menino era a tal ponto limitado na inteligência que pouco aprendia e apresentava dificuldades nos trabalhos manuais, porém, de maneira extraordinária progrediu no campo da oração e da caridade.

São José foi despedido de dois conventos franciscanos por não conseguir corresponder aos ofícios e serviços comuns. Ele, porém, não desistia de recomendar sua causa a Santíssima Virgem, pela qual tinha sido anteriormente curado de uma grave e misteriosa enfermidade.

O poder da oração levou São José de Cupertino para o convento franciscano e ao sacerdócio, precisando para isso que a Graça suprisse as falhas da natureza. Desde então, manifestavam-se nele, fenômenos místicos acompanhados de curas milagrosas, que o tornou conhecido e procurado em toda a região.

Dentre os acontecimentos espirituais o que muito se destacou foi o êxtase, que consiste naquele estado de elevação da alma ao plano sobrenatural, onde a pessoa fica momentaneamente desapegada dos sentidos e entregue totalmente numa contemplação daquilo que é Divino. São José era tão sensível a esta realidade espiritual, que isto acontecia durante a Santa Missa, quando rezava com os Salmos e em outros momentos escolhidos por Deus; somente num dos conventos onde viveu 17 anos, seus irmãos presenciaram cerca de 70 êxtases do santo.

A fama das curas milagrosas se alastrava como uma epidemia, exaltando a imaginação popular, e obrigando o Frei José, a ser transferido de convento para convento. Mas, os fenômenos se repetiam e o povo lhe tirava todo o sossego.

Como na vida da maioria dos santos não faltaram línguas caluniosas que, interpretando mal esta popularidade atribuiu-lhe poderes demoníacos aos seus milagres e êxtases, ao ponto de denunciarem o santo Frei ao Tribunal da Inquisição de Nápoles. O processo terminou reconhecendo a inocência do religioso, impondo-lhe, porém, a reclusão obrigatória e a transferência para conventos afastados.

Depois de sofrer muito e de diversas maneiras, predisse o lugar e o tempo de sua morte, que aconteceu em 18 de setembro de 1663, contando com sessenta anos de humilde testemunho e docilidade aos Carismas do Espírito Santo. Foi beatificado por Bento XIV em 1753 e canonizado por Clemente XIII em 1767.


quarta-feira, 15 de setembro de 2010

XXV Domingo do Tempo Comum - 19/09/2010


1ª leitura: Am 8,4-7: O profeta Amós denuncia a injustiça institucionalizada do séc. VIII a.C. Enquanto uns poucos tem muito, muitos vivem com quase nada. O pecado que o profeta denuncia diz respeito a uma postura de vida dúbia: cumpre-se todos os preceitos do ritual religioso, mas o coração está longe de Deus pois a prática revela injustiça e morte.

 

2ª leitura: 1Tm 2,1-8: A primeira parte da carta a Timóteo trata de questões ligadas ao culto, que consiste em petição, adoração, intercessão e ação de graças, tudo ao mesmo tempo. A centralidade de todo o culto, ou seja, de toda a intercessão e ação de graças, é Jesus Cristo, único mediador, pois é por ele que encontramos a salvação que nos vem de Deus.

 

Evangelho: Lc 16,1-13 ou 16,10-13: Esta parábola de Jesus pode nos causar espanto num primeiro momento. Contudo, Jesus não apresenta o comportamento do administrador como exemplar. Ele o qualifica como um comportamento dos "filhos das trevas".  Porém, há algo que deve ser aprendido: a esperteza na administração dos bens. Saber utilizá-los para promover o bem e não se tornar escravo deles.

 

Breve Reflexão: A primeira leitura extraída do profeta Amós, nos coloca diante da injustiça daqueles que, diante da sociedade, são perfeitos homens piedosos, mas que na realidade, suas vidas são pautadas pela busca do enriquecimento, mesmo que seja a custo de injustiças. Deus conhece o coração! São as intenções profundas que realmente tem valor; não as aparências. A injustiça é sinal de um coração escravizado pelos bens.

No evangelho, da parábola do "administrador infiel", aprendemos a "esperteza" no lido com os bens materiais. O administrador usou os bens e fraudou recibos em vistas do benefício próprio. Os "filhos da luz", vivendo a justiça e a caridade, usam os bens materiais para a construção de uma sociedade mais justa e para a edificação de condições dignas para a própria vida e para os irmãos, buscando a comunhão.

Viver a liberdade diante daquilo que passa, buscando realidades mais altas. Resumindo, olhar para além do próprio umbigo, eis a mensagem central desta liturgia, percebendo a vida maior para a qual Deus nos chama. Deixar de ser "galinha", que somente olha para baixo, ciscando, para se tornar águia, que vê mais adiante aquilo que realmente interessa. Que o Espírito de Jesus nos ensine a viver libertos, percebendo aquilo que realmente vale a pena na vida.


--
P.e Maikel P. Dalbem, C.Ss.R.

Liturgia do Dia: Memória de Nossa Senhora das Dores

A memória da Virgem das Dores chama-nos a reviver o momento decisivo da história da salvação e a venerar a Mãe associada à paixão do Filho e ao lado dele elevado na cruz (Jo 19,25-27; papa Paulo IV, em "Marialis Cultus", 7). Sua maternidade assume no Calvário dimensões universais (Paulo IV, ibidem, 37). Esta memória de origem devocional foi introduzida no calendário romano pelo papa Pio VIII (1814).
(cf. Missal Romano)

--
P.e Maikel P. Dalbem, C.Ss.R.

Versículo Bíblico do dia

"Felizes os que procedem com retidão, os que caminham na lei do Senhor!"
Sl 119

--
P.e Maikel P. Dalbem, C.Ss.R.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Festa da Exaltação da Santa Cruz

A cruz, sinal do mais terrível entre os suplícios, é para o cristão a árvore da vida, o tálamo, o trono, o altar da nova aliança. De Cristo, novo Adão adormecido na cruz, jorrou o admirável sacramento de toda a Igreja. A cruz é o sinal do senhorio do Cristo sobre os que no Batismo são configurados a ele na more e na glória (cf. Rm 6,5). Na tradição dos Padres, a cruz é o sinal do Filho do Homem que comparecerá no fim dos tempos (cf. Mt 24,30). A festa da Exaltação da Santa Cruz, que no Oriente é comparada àquela da Páscoa, relaciona-se com a dedicação das basílicas contantinianas construídas no Gólgota e sobre o sepulcro de Cristo.
(Missal Romano, pp. 655-656)

--
P.e Maikel P. Dalbem, C.Ss.R.

Versículo Bíblico do dia

"E a prova de que sois filhos é que Deus enviou aos nossos corações o Espírito do seu Filho, que clama: 'Abbá, Pai!' Portanto, já não és mais escravo, mas filho; e se és filhos, és também herdeiro, tudo isso, por graça de Deus."
Gl 4,6-7

--
P.e Maikel P. Dalbem, C.Ss.R.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Frase de São João Crisóstomo...

"Quando o amor de Deus obtém a vontade da alma, produz nela um insaciável desejo de trabalhar pelo Amado."

P.S.: Acho que ainda escrevei alguma coisa sobre esta bela frase. Calou fundo!
--
P.e Maikel P. Dalbem, C.Ss.R.

Trecho do Discurso de São João Crisóstomo sobre Mt 18,21-25

Então, Pedro aproximou-se e perguntou-lhe: Senhor, se o meu irmão me ofender, quantas vezes lhe deverei perdoar? Até sete vezes? Jesus respondeu: Não te digo até sete vezes, mas até setenta vezes sete. Por isso, o Reino do Céu é comparável a um rei que quis ajustar contas com os seus servos. Logo ao princípio, trouxeram-lhe um que lhe devia dez mil talentos. Não tendo com que pagar, o senhor ordenou que fosse vendido com a mulher, os filhos e todos os seus bens, a fim de pagar a dívida. O servo lançou-se, então, aos seus pés, dizendo: 'Concede-me um prazo e tudo te pagarei.' Levado pela compaixão, o senhor daquele servo mandou-o em liberdade e perdoou-lhe a dívida. Ao sair, o servo encontrou um dos seus companheiros que lhe devia cem denários. Segurando-o, apertou-lhe o pescoço e sufocava-o, dizendo: 'Paga o que me deves!' O seu companheiro caiu a seus pés, suplicando: 'Concede-me um prazo que eu te pagarei.' Mas ele não concordou e mandou-o prender, até que pagasse tudo quanto lhe devia. Ao verem o que tinha acontecido, os outros companheiros, contristados, foram contá-lo ao seu senhor. O senhor mandou-o, então, chamar e disse-lhe: 'Servo mau, perdoei-te tudo o que me devias, porque assim mo suplicaste; não devias também ter piedade do teu companheiro, como eu tive de ti?' E o senhor, indignado, entregou-o aos verdugos até que pagasse tudo o que devia. Assim procederá convosco meu Pai celeste, se cada um de vós não perdoar ao seu irmão do íntimo do coração. (Mt 18,21-35)

Cristo pede-nos duas coisas: que condenemos os nossos pecados e perdoemos os dos outros, e que façamos a primeira coisa por causa da segunda, que será então mais fácil, pois aquele que pensa nos seus pecados será menos severo para com o seu companheiro de miséria. E perdoar não apenas por palavras mas do fundo do coração, para que não se vire contra nós o ferro com que cremos trespassar os outros. Que mal te pode fazer o teu inimigo, que se possa comparar com aquele que fazes a ti próprio? [...] Se te deixas levar pela indignação e pela cólera, serás ferido, não pela injúria que ele te fez, mas pelo ressentimento com que ficas.

Não digas: Ele ultrajou-me, ele caluniou-me, ele causou-me inúmeros males. Quanto mais disseres que ele te fez mal, mais demonstras que ele te fez bem, pois deu-te oportunidade de te purificares dos teus pecados. Deste modo, quando mais ele te ofende, mais hipóteses te dá de obteres de Deus o perdão dos teus pecados. Porque, se quisermos, ninguém poderá prejudicar-nos; até os nossos inimigos nos prestam um grande serviço. [...] Reflete portanto nas vantagens que obténs de uma injúria suportada com humildade e doçura.

São João Crisóstomo

São João Crisóstomo, nascido em Antioquia por volta do ano 349, recebeu excelente educação, dedicou-se à vida ascética e como sacerdote consagrou-se ao ministério da pregação. como bispo de Constantinopla, revelou grande zelo e competência pastoral, principalmente à reforma dos costumes, tanto do clero como dos fiéis. As perseguições o levaram ao exílio, e por causa de tantas tribulações, morreu na Ásia Menoir em 407. É chamado Doutor da Eucaristia pela imensa riqueza de sua doutrina sobre o sacramento do Corpo e Sangue de Cristo.

P.S.: Ainda hoje postarei um trecho de escrito de São João Crisóstomo.

--
P.e Maikel P. Dalbem, C.Ss.R.

sábado, 11 de setembro de 2010

Versículo Bíblico do dia

"O meu Deus proverá magnificamente, segundo a sua riqueza, no Cristo Jesus, a todas as vossas necessidades".
Fl 4,19


Vou celebrar a eucaristia agora. Lembrar-me-ei de todos os amigos - presentes e ausentes.

--
P.e Maikel P. Dalbem, C.Ss.R.

Coisas de Drummond

"A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos,na prudência egoísta que nada arrisca e que, esquivando-nos do sofrimento, perdemos também a felicidade.
A dor é inevitável. O sofrimento é opcional."
Carlos Drummond de Andrade

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Versículo Bíblico do dia

"Não fostes vós que me escolhestes; mas fui eu que vos escolhi e vos designei, para dardes fruto e para que o vosso fruto permaneça."
Jo 15,16
--
P.e Maikel P. Dalbem, C.Ss.R.

Fiéis na Oitava de São Geraldo - Sexta-feira, dia 03/09/2010



--
P.e Maikel P. Dalbem, C.Ss.R.

XXIV Domingo do Tempo Comum


1ª leitura: Ex 32,7-11.13-14: Enquanto Moisés se encontra no alto do monte Sinai, o povo se mostra infiel, fundindo um bezerro de ouro, um ídolo para adorar. Deus condena a idolatria do povo. Já não o quer como "seu povo" ("teu povo", ele diz a Moisés). Contudo, diante da prece de Moisés, Deus muda de idéia: se mostra compassivo. Fala da cólera e do arrependimento de Deus são maneira muito humanas (antropomorfismo) para se referir ao infinito amor e misericórdia de Deus que não se mostra impassível diante do pecado e da prece humana.

2ª leitura: 1Tm 1,12-17: Paulo fala de sua própria experiência para seu grande companheiro de jornadas, Timóteo. De perseguidor dos cristãos a pregador do Evangelho de Jesus Cristo. As cartas a Timóteo e Tito são o "testamento espiritual" de Paulo. Por isso, é belo perceber que o tom predominante nestas cartas é de alegria e gratidão. A mensagem principal deste trecho é a vinda de Jesus para salvar os pecadores.

Evangelho: Lc 15,1-31 ou 15,1-10: A presença de Jesus junto à mesa de publicanos e pecadores públicos é escandalosa para os fariseus. Contudo, na ação de Jesus, salta aos olhos a dinâmica central de sua missão: resgatar aqueles que estão perdidos. O Reino de Deus é para todos! Cada pessoa importa o Pai e recebe preferência aqueles que mais precisam. Lucas tem predileção em mostrar a face amorosa de Deus manifestando-se plenamente em Jesus Cristo. Um Deus que vai ao encontro da ovelha desgarrada até que ela volte ao redil seguro de seu Amor.

Breve Reflexão: Há alguns que dizem que Lucas poderia ter sido médico. Talvez esta afirmação tenha nascido do fato deste evangelista enfatizar Jesus como presença de Deus que vai ao encontro daquele que está perdido, doente, resgatando-o das garras da morte. O trecho do evangelho lido hoje enfatiza bastante esta faceta misericordiosa de Deus. A segunda leitura traz este tema de fundo. Paulo fez profunda experiência de mudança de vida ao se encontrar com o Evangelho de Jesus: de assassino de cristãos, a pregador da vida que vem de Deus em Jesus Cristo. A primeira leitura nos mostra Deus que se faz compassivo e volta atrás em seu projeto de rejeitar seu povo, Israel.

Se fossemos buscar uma frase bíblica que bem expresse o tema da liturgia de hoje, nossos olhos parariam em Ez 18,23: "Não quero a morte do pecador, e sim, que ele se converta e viva". O Reino de Deus é para todos. Aos justos, cabe o crescimento na vida, de maneira fiel, vivendo a missão de alcançar outros para a fraternidade em Cristo Jesus. Àqueles que estão distante, a pregação do Reino é chamado para participar do banquete dos filhos de Deus, convertendo-se e deixando aquilo para trás aquilo que é morte em suas vidas.

A partir desta faceta de um Deus condescendente, que não descarta o que está perdido, mas que vai ao seu encontro, é que encontramos o fundamento da "opção preferencial" de Deus pela ovelha perdida. No coração de Deus cabem todos. Seu Amor toca a toda criatura. Contudo, existem aqueles que precisam de mais cuidados, devido ao lugar onde se encontram, a dor de suas feridas ou o peso que carregam.


--
P.e Maikel P. Dalbem, C.Ss.R.

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Versículo Bíblico do dia

"Ele me dá abrigo em sua tenda no dia da desgraça. Esconde-me em sua morada, sobre o rochedo me eleva."
Sl 27,5

--
P.e Maikel P. Dalbem, C.Ss.R.